Blog

Hidroponia: Solução Nutritiva

Hidroponia: Solução Nutritiva

A solução nutritiva é composta apenas por água à qual acrescentamos os nutrientes em forma de sais minerais líquidos ou sólidos.
Além de ter em atenção a qualidades dos nutrientes utilizados, as próprias características da água terão influência na solução nutritiva a utilizar.

No global a gestão da solução nutritiva deve ser adaptada conforme o tipo de resultados que queremos obter dos nossos cultivos, adaptando assim a medição e o controlo das seguintes características da solução:

  • pH - medida sobre a acidez/alcalinidade da solução
  • EC - Electrocondutividade da solução que traduz a quantidade de nutrientes
  • Oxigénio Dissolvido - medida sobre a quantidade de oxigénio dissolvido na solução
  • Temperatura da solução
  • Dureza - medida sobre a quantidade de sais como cálcio e magnésio dissolvidos na solução
  • Efeito Tampão ou Capacidade - Capacidade da solução manter o seu pH

1) pH

O pH mede a acidez relativa ou alcalinidade de uma solução. Em hidroponia determina-se o nível de pH da água antes de se adicionarem nutrientes.

É medido numa escala de 1 a 14, sendo o ponto considerado neutro 7. Acima de 7 é considerada uma solução alcalina e inferior é considerada ácida. Para níveis mais precisos de pH cada número é ainda divido em 10 partes (6.1, 6.2, 6.3 etc). Em hidroponia os valores óptimos estão entre o 5.2 e os 6.5, na vertente de bioponia estão entre os 6.5 e 7.5 e em Aquaponia estão entre os 6.8 e 7.

medidor de pH cromático

O pH, na maioria das soluções, muda quase de hora para hora e sem um sistema computorizado é impossível de controlar com rigor, mas se conseguir manter dentro dos níveis razoáveis acertando pelo menos 1 vez por semana, os resultados são bastante satisfatórios. 

2) EC

A Condutividade Elétrica é a capacidade que a água possui de conduzir corrente elétrica. Está normalmente relacionado com a presença de íões dissolvidos na água, que são partículas com energia eléctrica própria. Quanto maior for a quantidade de iões dissolvidos, maior será a condutividade elétrica.

Existe uma relação directa entre os sólidos dissolvidos (TDS - total dissolved solids) habitualmente medidos nas unidades de ppm (partes por milhão) e a EC. Isto leva a que, em Hidroponia, se meça a EC como uma forma de quantificar os nutrientes que existem na água. Diferentes fases da planta requerem diferentes níveis de EC, por exemplo nas primeiras fases da vida das plantas, uma condutividade baixa (cerca de 250 - 300 ppm) indica que existem boas condições para o crescimento e à medida que a planta vai crescendo, também as suas necessidades de nutrientes vão aumentando podendo ir até aos 1000 ppm.

Estes níveis de EC podem ser monitorizados com um medidor de EC convencional. É importante salientar que todos os medidores medem primeiro os valores em EC e depois esse valor é convertido para PPM . Existem 3 fatores de conversão "standard" que vários fabricantes usam nos seus medidores:

EUA - 1ms/cm (EC 1.0 ou CF 10 ) = 500 ppm
Europa 1ms/cm (EC 1.0 ou CF 10 ) = 640 ppm
Austrália 1 ms/cm (EC 1.0 ou CF 10) = 700 ppm

EC como mS TDS como PPM 
Nível de nutrientes desejável 0.5 a 2.0 250 a 1000
Nível potencialmente preocupante 2.0 a 3.0 1000 a 1500
Excesso de nutrientes 3.0 para cima 1500 para cima

3) Oxigénio Dissolvido


Quanto maior o oxigénio dissolvido na água mais vida pode esta suster. Daí ser um dos fatores mais importantes para este tipo de cultivo e uma das chaves para o sucesso.

O oxigénio dissolvido depende da temperatura da água, sendo que quanto mais fria mais oxigénio dissolvido pode conter. Além disso é importante manter a solução em movimento seja com uma bomba de água ou de ar de modo a manter os níveis de oxigénio dissolvido na solução em níveis aceitáveis, pois sem oxigénio as raízes sufocam e a planta acaba por morrer ou atrasar muito o seu crescimento.

Na verdade a razão nº1 para o insucesso no cultivo em solo normalmente referenciada como "afogar as plantas", ou seja o excesso de água de rega e a compactação do solo retira todo o oxigénio na zona das raízes. Com uma solução nutriva circulante e a temperatura ideal este problema deixa de se por.

A introdução de movimento na água também é vantajoso para evitar a aproximação de insectos, típica de águas paradas.

4) Temperatura

Em relação à temperatura da solução nutritiva  não existem valores óptimos, mas em geral os valores que permitem um crescimento normal estão entre os 18ºC e os 24ºC.

  • Temperaturas baixas (18ºC ou menor): mais oxigénio na zona das raízes, mas metabolismo mais lento
  • Temperaturas altas (30ºC ou maior): menos oxigénio na zona das raízes, metabolismo mais rápido

Num sistema ao ar livre a temperatura da água está normalmente 1º a 2º graus abaixo da temperatura ambiente. Desde que haja bastante movimento da solução e uma boa oxigenação os resultados são bastante satisfatórios mesmo quando as temperaturas excedem os 30ºC.

5) Dureza 

Pode ser medida pela quantidade de sólidos dissolvidos na água, TDS (Total dissolved solids), mais especificamente a quantidade de sais de cálcio e magnésio dissolvidos em água. 

Grandes quantidades de cálcio e magnésio na água = “ água dura “

Valores para água potável:

Concentração (ppm) Dureza da água
0    - 70 muito macia
70  - 140 macia
140 - 210 dureza média
210 - 320 alguma dureza
320 - 530 dura

O TDS na água é dos valores mais importantes a ter em conta para controlar a quantidade de nutrientes na solução nutritiva.

6) Capacidade ou Efeito Tampão

Refere-se à capacidade que a água tem de manter o seu pH (e também temperatura).

É medida pela quantidade de ácido que é necessário adicionar para ter uma solução neutra.
Um “Tampão” é um composto presente na água que tende a manter o pH estável quando se adiciona ácido ou base para mudar o pH, agindo como uma esponja. Se não houver este elemento o pH será muito volátil, alterando-se muito rapidamente.

Naturalmente, um efeito tampão relativo será uma vantagem para um cultivo hidropónico, tornando os nossos sistemas mais estáveis e mais autónomos.


×