Blog

Carências e excessos nutritivos

Carências e excessos nutritivos

Algumas noções básicas para se identificarem carências nutritivas nas plantas são:

  • CLOROSE - Amarelecimento geral da folha, palidez
  • CLOROSE INTERVENAL- Amarelecimento geral da folha à excepção das veias que se mantém verdes
  • NECROSE – Depois da clorose os tecidos ganham uma cor acastanhada e morrem
  • PONTOS NECRÓTICOS – pontos mortos nas folhas geralmente negros
  • CRESCIMENTO PARADO – Planta mais pequena do que o normal e que não mostra sinais de desenvolvimento

Os elementos essenciais são classificados por elementos móveis ou fixos, ou seja, os móveis movem-se por toda a planta e os fixos não. Quando existe falta de um elemento móvel numa parte da planta esse elemento é movido da parte mais baixa da planta para onde quer que seja necessário, como resultado a deficiência vai-se manifestar na parte mais baixa da planta (ex: Nitrogénio). Se existir a falta de um elemento fixo a deficiência vai-se mostrar nas folhas mais jovens (ex: Ferro)

  • ELEMENTOS MÓVEIS - Nitrogénio, Fósforo, Potássio, Cloro
  • ELEMENTOS SEMI-MÓVEIS -Cobre, Magnésio, Manganês, Zinco
  • ELEMENTOS FIXOS - Boro, Cálcio, Ferro, Enxofre

(Para saberes mais sobre os elementos essenciais na nutrição das plantas consulta Funções dos Elementos Essenciais)


Por vezes os mesmos sintomas visuais não estão propriamente relacionados com deficiências nutritivas e sim com os factores ambientais, por exemplo, se as folhas de um tomateiro ficarem com um tom púrpura pode não ser uma deficiência de fósforo como seria à partida mas sim uma intolerância da planta ao frio. As distorções nas folhas também podem estão relacionadas com grandes mudanças na humidade, uma pequena clorose intervenal pode ser uma deficiência de magnésio ou de manganês ou um primeiro sinal de stress por parte da planta, por sua vez a palidez das folhas pode ser um sinal de falta de Nitrogénio ou de poluição no ar e o que por vezes é designado por deficiência de Nitrogénio pode ser só a planta a chegar ao final do seu ciclo de vida. Pontos mortos nas folhas podem ser devido a um fungo, vírus ou excesso de Nitrogénio.

As deficiências não são muito comuns em hidroponia e se usarmos bons nutrientes, tivermos um sistema dinâmico e uma boa oxigenação da solução a probabilidade de se manifestarem carências é quase zero e nós até agora só encontramos uma “verdadeira” carência que foi a falta de cálcio em tomates que é algo muito comum e normalmente designado por BER ( Bear End Rot).

DEFECIÊNCIAS E EXCESSOS NUTRITIVOS

Nutriente Carência Excesso
NITROGÉNIO   folhas inferiores pálidas e amarelecidas, toda a planta fica com um tom verde mais claro, as ramificações são reduzidas as folhas ganham um tom verde escuro e a floração é retardada, pode influenciar o sabor final
FÓSFORO a planta ganha um tom púrpura e o crescimento é reduzido são raros e não são de recear, a sua presença acelera a maturação e aumenta a estabilidade dos caules
POTÁSSIO amarelecimento das margens das folhas inferiores são raros mas podem interferir com a absorção de Magnésio
 CÁLCIO  pontas das folhas queimadas, as folhas perdem estrutura, no caso do tomate causa uma podridão no final do fruto pode interferir com a absorção de magnésio e de Potássio, pode reagir como Enxofre e Fósforo e criar compostos insolúveis.
MAGNÉSIO clorose intervenal que começa nas folhas mais velhas e progride para as novas, a floração é reduzida são raros
ENXOFRE amarelecimento das folhas mais jovens progredindo para as mais velhas, a floração é reduzida folhas mais pequenas do que o normal, podem cair
COBRE amarelecimento das flores, se num estado avançado as flores podem passar de um amarelo para branco As folhas ganham um tom bronze com pontos necróticos
FERRO As bordas das folhas enrolam para cima e as folhas mais jovens murcham elemento tóxico em excesso, o crescimento é parado, as raízes ganham uma cor escura e morrem
MANGANÊS amarelecimento intervenal, deformação das folhas mais jovens crescimento reduzido, saúde pobre, pontos necróticos nas folhas.
ZINCO amarelecimento das folhas mais jovens entre as veias, crescimento reduzido em excesso é como um veneno para as plantas e começa por bloquear a absorção de ferro, pode causar a morte da planta
BORO as novas ramificações morrem, as folhas ficam torcidas com algumas manchas de tom mais claro amarelecimento da ponta das folhas seguido de necrose, as folhas caem
MOLIBDÉMIO deformação das folhas com tendência para se torcerem para cima descoloração das folhas e a grandes concentrações as folhas podem ficar cor de laranja



Como muitos dos sinais visuais podem apontar para várias interpretações é mesmo importante ter um sistema dinâmico e usar bons nutrientes, se elas aparecerem à mesma é porque as raízes morrem e não conseguem absorver nutrientes dando origem a todos os tipos de deficiências e é por isto que raramente uma deficiência vem sozinha pois a dificuldade na absorção afecta todos os elementos.
As carências também podem aparecer quando as raízes estão saudáveis, podendo ser só um desequilíbrio no pH ou na solução nutritiva. Outros problemas podem ser gerados pela competição na absorção entre os elementos pois um elemento pode estar em excesso e bloquear a absorção de outro.

Para resolver estes problemas primeiro temos de encontrar as causas e para isso devemos começar a nossa inspecção pelas raízes, estas podem ser podadas (puxando gentilmente) caso seja necessário pois as raízes fracas e estragadas sairão facilmente. Caso estas não apresentem nenhum dano então passamos aos níveis de pH e EC, averiguar se há acumulação de depósitos no tanque dos nutrientes, etc. Se for este o caso deve-se trocar a solução nutritiva por água com o pH balanceado, sem nutrientes e se possível com um estimulador de raízes. Em paralelo pode-se borrifar a planta com uma solução média de nutrientes (EC=0,5), de preferência pela manhã, até a planta recomeçar a crescer normalmente e retomando-se depois a solução nutritiva adequada.

As deficiências que têm origem em elementos móveis normalmente são curadas e desaparecem, as de elementos fixos não vão desaparecer mas as novas folhas e ramificações vão nascer saudáveis.


×